Entenda o que é autogestão em startups e qual é a sua importância

8 minutos para ler

Hoje em dia, em busca de mais inovação, diversas empresas (em especial, as startups) têm feito grandes mudanças no ambiente organizacional.

Muitas delas iniciam fazendo pequenas alterações na cultura corporativa, até que começam a avançar, colocando em prática mudanças mais profundas na forma de administrar e de gerir o negócio. Sendo assim, a autogestão representa um desses modelos de gestão que tem sido praticado por muitas delas.

Mas afinal, você sabe o que é autogestão? De maneira resumida, podemos dizer que consiste em uma nova maneira de administrar uma empresa e tem como objetivo garantir a autonomia dos colaboradores em alguns processos do empreendimento.

Quer saber mais sobre esse assunto e entender melhor como funciona a autogestão em uma startup para que você possa colocar em prática no seu negócio? Então, continue a leitura para aprender mais!

O que é autogestão e como isso funciona na prática?

Com a pandemia da Covid-19, muitas empresas tiveram que migrar para o trabalho remoto. Dessa forma, começaram a notar uma necessidade de proporcionar uma autonomia maior para os funcionários. Nesse sentido, a autogestão ganha muito mais força nas corporações.

Esse modelo gerencial tem como base o conceito de que os funcionários conseguem administrar sozinhos as suas rotinas de trabalho e de garantir resultados sem ter que buscar autorizações de líderes antes de tomar suas decisões.

Portanto, podemos resumir afirmando que a autogestão parte do princípio de que o funcionário é capaz de gerenciar a si mesmo, de modo autônomo, não tendo a necessidade de reportar decisões a um superior.

Porém, é fundamental destacar que nesse modelo os colaboradores têm que seguir acordos e regras previamente determinadas no coletivo. Além disso, muitos podem pensar que na autogestão não existe mais a figura do líder, mas isso não é verdade. Existe sim, e é indispensável para o funcionamento global do setor.

Contudo, em vez de controlar todos os passos da sua equipe, o líder acaba focando mais em atividades como:

  • estabelecer regras;
  • organizar as equipes;
  • repassar as demandas de trabalho;
  • acompanhar a qualidade das atividades desenvolvidas pelo time;
  • prestar suporte à equipe;
  • acompanhar os indicadores e os resultados;
  • engajar e motivar o time.

Ou seja, de maneira resumida, os colaboradores têm liberdade, mas sempre com responsabilidade.

Qual é a importância da autogestão?

Existem excelentes motivos para adotar a autogestão na sua startup. Veja alguns deles a seguir!

Fortalecimento das competências dos funcionários

O primeiro grande benefício é empregar as competências dos funcionários em prol das expectativas do negócio com muito mais efetividade. Concorda que quando você recruta um profissional para sua startup, você busca habilidades, conhecimentos e atitudes que considera serem indispensáveis para a empresa ou para a função? Então, o que vai adiantar não dar espaço para que esse talento aplique todas essas competências?

Aumento da produtividade dos líderes 

A autonomia dada aos funcionários acaba diminuindo o esforço e o tempo dedicados a cada atividade individualmente. Isso, sem dúvida alguma, permite que o líder seja mais produtivo.

Afinal de contas, em vez de ele ficar acompanhando todos os passos do funcionário e ser um gargalo de decisões, ele acaba tendo condições de priorizar pontos mais importantes para o sucesso do seu time: alinhar tarefas de diferentes projetos, motivar os colaboradores, manter uma comunidade mais clara, buscar recursos para os desafios da equipe e muito mais.

Carga de trabalho reduzida

Esse modelo de gestão pode ser uma forma de recuperar o desempenho do líder que está sobrecarregado. Quando se reduz a intervenção no trabalho dos funcionários, o líder pode liderar mais pessoas simultaneamente e até buscar mais projetos.

Problemas resolvidos com rapidez

A autogestão permite que as equipes sejam mais ágeis. Isso acontece, pois os líderes deixam se ser gargalos das decisões, desbloqueando, assim, o fluxo do trabalho. Sem contar que os processos passam a ser mais simples, já que as necessidades de aprovação ou de autorização se tornam mais pontuais.

Engajamento dos colaboradores 

Pensando nos liderados, a vantagem é gigante também. Afinal, a possibilidade de tomar decisões no trabalho permite que eles enxerguem a própria função que têm no negócio. Essa é uma forma de valorizar a experiência do colaborador. Logo, existem grandes condições para motivar e engajar os profissionais. 

Aumento do desempenho e melhoria dos resultados

Quando o profissional sabe que determinada tarefa depende dele faz com que ele coloque mais empenho na entrega. Ter a noção de que um atraso na tarefa ou então uma falha pode acabar afetando o processo todo, e isso deixa o funcionário mais esperto e ainda mais motivado. Assim, a equipe passa a cumprir os prazos definidos para não permitir erros, o que consequentemente melhora os resultados.

Como estimular essa prática na empresa?

Bom, agora que você já sabe o conceito e entende o quanto a autogestão é importante para a sua startup, vamos explicar como você pode desenvolver esse modelo no seu negócio. Vamos lá?

Defina uma rotina

Essa é uma dica valiosa, sobretudo para as startups que desejam praticar esse modelo de gestão inovador no trabalho home office. Para isso, é importante organizar tudo de maneira bem organizada.

Você pode fazer isso por meio de documentos online ou até mesmo pela agenda. Dessa forma, os profissionais vão conseguir planejar horários ideais para cada uma das suas atividades, mantendo uma rotina bem produtiva. Se isso não for feito com cuidado e atenção, há o risco de ter que fazer retrabalho ou de se esquecer de algo relevante.

Organize o ambiente de trabalho

É bem complicado incentivar ou praticar a autogestão sem ter um ambiente de trabalho adequado. Quando se tem tudo organizado, o colaborador passa a ter em mãos todas as ferramentas que precisa, e isso ajuda a evitar perda de tempo ao buscar algo no dia a dia.

Pare para pensar na sua startup tendo colaboradores que passam a maior parte do dia tentando encontrar documentos em vez de produzir efetivamente. Dessa forma concorda que vai ser bem difícil confiar na autogestão por parte da equipe? Isso jamais pode acontecer, por isso é importante e necessário ter um ambiente de trabalho bem organizado. 

Determine limites

Está em suas mãos evitar que a liberdade dos colaboradores resulte em hábitos que vão prejudicar a produtividade do negócio. Portanto, é preciso determinar os limites e sempre apontar o caminho que eles devem seguir.

Faça reuniões com o time

É fundamental que as reuniões com a equipe aconteçam periodicamente, pois essa prática vai ajudar a:

  • realizar os ajustes necessários;
  • revisar o andamento do trabalho;
  • manter os profissionais engajados com os resultados;
  • reconhecer os esforços do time.

Nas reuniões com o time que está trabalhando remotamente, por exemplo, o ideal é usar ferramentas de chat com vídeo. O contato visual entre líder e equipe é imprescindível.

Monitore o desempenho da equipe

É importante ficar claro que a autogestão não significa deixar de lado os mecanismos de supervisão e de monitoramento. É preciso monitorar e mensurar o desempenho dos profissionais constantemente. Para isso, é fundamental usar os KPIs (Key Performance Indicator ou Indicadores-Chave de Performance) na sua startup.

Então, o ideal é sempre usar e acompanhar esses indicadores e avaliar os relatórios de produtividade para assegurar que o trabalho está sendo feito dentro dos padrões do negócio, e que o time está funcionando de forma alinhada às necessidades da empresa e dos clientes.

Bom, agora você já sabe o que é autogestão, e certamente concluiu que se trata de um modelo de organização que permite que o gerenciamento de tarefas e tomadas de decisão sejam feitos de modo mais horizontal e democrático. Sem dúvida alguma, a autogestão é indispensável para os líderes da sua startup, uma vez que ela qualifica os colaboradores, tornando-os mais aptos a contribuir com a empresa de maneira mais precisa.

Gostou do texto, mas ainda não está convencido de que é preciso inovar na sua startup? Então aproveite para conhecer essas 6 razões para fazer investimento em inovação na sua empresa e tire todas as dúvidas que ainda tem!

Posts relacionados

Deixe um comentário